Como parte das funções de fiscalização do mandato, o deputado federal Marcelo Calero realizou, nesta quarta-feira (06/05), uma vistoria em dois hospitais do Rio, para avaliar suas capacidades de atendimento durante a pandemia.

    No Hospital municipal Miguel Couto, no Leblon, na Zona Sul, o parlamentar constatou a existência de vários leitos vazios, que teriam estrutura para receber pacientes. No entanto, apenas 69% estão ocupados.  Enquanto isso, a Coordenação de Emergência Regional Professor Nova Monteiro (CER Leblon), unidade que fica ao lado do hospital, está superlotada, com todos os respiradores ocupados. A Sala Amarela da unidade tem 12 leitos, mas está com 42 doentes.

    Já no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), no Caju, Zona Portuária da cidade, foram encontrados andares inteiros ociosos, alguns deles, inclusive, com respiradores que poderiam estar sendo utilizados para aliviar o resto da rede pública no tratamento do coronavírus. A unidade possui 331 leitos, mas apenas 47% de ocupação. No estacionamento do instituto, foram encontradas oito ambulâncias paradas.

    Em todas as situações, a razão para a má utilização dos leitos foi a mesma: falta de material, médicos, técnicos e enfermeiros. “A gente precisa averiguar também os leitos que estão livres, aguardando cirurgias eletivas. Eles poderiam também estar sendo utilizados para pacientes com covid. Tem gente morrendo. Isso é muito sério, muito grave”, afirmou Calero.

   Dando seguimento à ação do mandato, foram encaminhados ofícios para os órgãos responsáveis cobrando providências.

 

Confira na íntegra os documentos: 

- Ofício nº RS20001 ao Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella
- Ofício nº RS20002 ao Procurador-Geral do Ministério Público do Rio de Janeiro
- Ofício nº RS20003 ao Presidente do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro

- Ofício nº RS20006 ao Procurador-Chefe da Procuradoria da República no Rio de Janeiro
 

 

Denúncias e reclamações

    O mandato continuará fiscalizando os hospitais do Rio, e cobrará das autoridades competentes esclarecimentos sobre essa suspeita de mau uso do dinheiro público.

     Compartilhe conosco denúncias e reclamações relacionadas à saúde: contato@calero.rio e Whatsapp (21) 99513-4321.

Calero fiscaliza unidades de saúde no Rio

Objetivo é avaliar a capacidade de atendimento durante a pandemia

7 de maio de 2020

Logo Marcelo Calero