Caminhada pela Liberdade Religiosa

Esta é mais uma ação do Núcleo criado pelo mandato para combater a intolerância religiosa

     Representantes do mandato do deputado federal Marcelo Calero (Cidadania RJ) participaram, no sábado, dia 24/8, da 3º Caminhada pela Liberdade Religiosa, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Esta é mais um ação do Núcleo de Defesa da Liberdade Religiosa, criado pelo parlamentar, para agir diante das diversas denúncias recebidas. 

     Servidor do gabinete e ativista dos Movimentos Religiosos Afro-brasileiros, Israel Evangelista, ressalta a importância da ação. “O País tem testemunhado grave aumento no número de atentados praticados contra templos religiosos dos mais distintos credos, ferindo direitos humanos fundamentais.  A criação do Núcleo e suas ações chegam para apoiar e tentar reverter esta triste realidade que aflige todas as religiões, mas, em especial, a dos meus irmãos de matriz africana”, afirma. 

     Em recente estudo divulgado pelo Ministério Público Federal (MPF), foi apresentada uma preocupante tendência de aumento de manifestações de violência contra praticantes de religiões de matrizes africanas. Em março deste ano, por exemplo, um terreiro de candomblé em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, foi invadido e destruído por criminosos. 

     No dia 15 de setembro, será realizada a 12°ª Caminhada Nacional em Defesa da Liberdade Religiosa no Posto 6, da Praia de Copacabana, na Zona Sul.

 

Projeto de lei enquadra como ato de terrorismo 

      No início deste mês, Calero apresentou o Projeto de Lei 4.282/2019, que enquadra como ato de terrorismo ataque às instituições religiosas. O PL foi a primeira ação do Núcleo de Defesa da Liberdade Religiosa. Além disso, o parlamentar estabeleceu um canal de comunicação para facilitar o acolhimento de denúncias de casos de violência a instituições religiosas: liberdadereligiosa@calero.rio

      O objetivo do PL é adequar a legislação brasileira de contraterrorismo (Lei Nº 13.260, de 16 de março de 2016) aos padrões internacionais, que contemplam também o combate à intolerância religiosa. 

      A intolerância religiosa tem afetado, também, praticantes de outras denominações. Em dezembro de 2018, o País acompanhou o atentado à Catedral de Nossa Senhora da Conceição, em Campinas, no estado de São Paulo, que vitimou cinco pessoas e deixou outras três feridas.

26 de agosto de 2019

Logo Marcelo Calero